segunda-feira, 5 de março de 2012


A Benção da Cura Divina - 2a. Parte

Caro(a) leitor(a),

Dando continuidade à nossa análise sobre a questão da Cura Divina, passemos a considerar, agora, a Cura Divina propriamente dita, de acordo com o que nos falam as Escrituras Sagradas...

Vejamos...

1.            A Benção da Cura Divina:
A.          Faz parte da Redenção efetuada por CRISTO na cruz - IS. 53:4,5 - Certamente ELE tomou sobre si nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de DEUS e oprimido. Mas ELE foi traspassado pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ELE, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. - 1 PE. 2:24 - Comparando os textos, nós vemos que fomos sarados tanto física, como espiritualmente. JESUS efetuou na cruz uma redenção completa - corpo, alma e espírito -. MT. 8:16-18.
B.           É garantida por DEUS - Desde o Antigo Testamento ÊX. 15:26 - DEUS tem se revelado como JEOVÁ-RAFÁ, o SENHOR que sara (SL. 103:3).
C.          É vontade do SENHOR nos proporcionar a cura - MT. 8:1-3; 3 JO. 2 -
I).           Durante a maior parte de Seu ministério, JESUS ministrou a cura - MC. 6:55,56; 8:22-26; 1:32-34;
II).        JESUS enviou os apóstolos a pregar o Evangelho, curar os enfermos e expulsar os demônios - MT. 10:1, 7, 8;
III).     Tiago mandou os enfermos chamarem os presbíteros a fim de que estes ungissem o enfermo com óleo, em Nome do SENHOR JESUS, a fim de que sarasse - TG. 5:14, 15;
IV).     Entre os dons concedidos à igreja, estão os dons de curar - 1 CO. 12:7, 9;
V).        Entre os sinais que seguiriam os que crêem, está este: “...porão as mãos sobre os enfermos e os curarão” - MC. 16:17, 18;
D.          É para os que crêem - MT. 8:5-13 - Para receber esta bênção, e também para quem quer realizar curas em nome de JESUS - MC. 16:17-20 - é necessário crêr.
E.           É para hoje - HB. 13:8;
F.           É para todos os que estão enfermos, e que necessitam de cura - MC. 2:17;
G.         É benção (pão) para os filhos - MC. 7:24-30. No Testamento Sagrado, está incluído a bênção de cura divina para os filhos.
2.            Porque JESUS cura:
A.          Por compaixão - MC. 10:46-52; 5:19; 1:40-42; MT. 14:14 - Vendo JESUS a grande multidão, compadeceu-se dela e curou os seus enfermos;
B.           Para que o Pai seja glorificado no Filho - JO. 14:13;
C.          Para cumprir Sua missão divina (AT. 10:38): “DEUS ungiu a JESUS de Nazaré com o ESPÍRITO SANTO e poder, o qual andou por toda a parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque DEUS era com ELE”. Ver IS. 61:1-3;
D.          Para a expansão do Reino de DEUS - MT. 12:22-29 - JESUS curava os enfermos, expulsava os demônios, destruindo as obras do Diabo e expandindo o Seu Reino (AT. 26:18; CL. 1:18).
E.           Para confirmar a Sua Palavra (MC. 16:20): “E eles, tendo partido, pregaram em toda a parte, cooperando com eles o SENHOR, e confirmando a Palavra com os sinais que se seguiam”.
F.           Para que aqueles que vêem os sinais creiam - JO. 11:4, 45; 4:46-54;
3.            Como alcançar a Cura e Manter a Saúde -
A.          Conhecer a Causa, a Origem da Enfermidade: (JO. 5:1-14)
I).           Se é por causa do pecado não confessado, devemos confessar os pecados - “O que encobre as suas transgressões, jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia”. Ver também OS. 14:1, 2, 4Volta, ó Israel, para o SENHOR teu DEUS; porque pelos teus pecados tens caído. Tende convosco palavras de arrependimento, e convertei-vos ao SENHOR; dizei-lhe: Perdoa toda a iniqüidade, aceita o que é bom...Curarei a sua infidelidade.”. A doença de Israel era espiritual, e só o perdão de DEUS podia abrir caminho para a cura. Ler ainda IS. 1:5, 6; 57:17, 18; SL. 32:3-5. Enquanto não houver confissão não há perdão e nem cura. Em Mateus 9:2,6,7 trouxeram ao SENHOR JESUS um paralítico deitado em um leito... vendo a fé deles, JESUS disse ao paralítico: “Filho, tem bom ânimo, estão perdoados os teus pecados”... E para que soubessem que o Filho do Homem tinha, na Terra, poder para perdoar os pecados, disse então ao paralítico: “Levanta-te, toma o teu leito, e vai para a tua casa”, e ele, levantando-se, partiu para sua casa. - Primeiro recebeu o perdão, e então a cura. Ver SL. 38:3-10,18;
II).         Se a causa  da enfermidade é maldição hereditária, devemos crer no Libertador  GL. 3:13) — “CRISTO nos resgatou da maldição da Lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar, porque está escrito, maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;”. CRISTO tomou sobre si todas as nossas maldições procedentes da transgressão da lei, para nos resgatar, comprar, tirar para fora (CL. 1:13,14). Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do Seu Amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.

III).     SL. 91:1 - Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, e descansa à sombra do Onipotente” - ver os versos 3 a 10 - está protegido de toda e qualquer maldição, ou enfermidade. Além de crer no Libertador, para se ver livres das maldições hereditárias, precisamos fazer confissão dos pecados de nossos pais, não diretamente para eles serem perdoados, mas para que a maldição que é conseqüência de seus pecados, seja interrompida. Em DN. 9:5,6, na confissão dos pecados, feita por Daniel, ele incluiu os pais. “temos pecado e cometido iniqüidade... nossos pais...”. Por quê incluir a confissão dos pecados dos pais que já não mais existiam? É por que em virtude da desobediência e rebeldia de seus pais é que eles estavam em cativeiro (vs. 16). Também em Neemias 1:4-6 houve confissão e reconhecimento de seus pecados, e dos pecados de seus pais. Agora uma experiência verídica que mostra-nos a realidade desse fato: Houve um casal de cristãos que viviam oprimidos por Satanás, e tinham uma vida conjugal e familiar infeliz, até que num determinado momento um outro cristão passou a orar e jejuar por esse casal, pela libertação do casal; até o momento que DEUS revelou que dentro da casa do referido casal havia, envolto em uma toalha, uma imagem (santo) que era o que causava a desgraça nesse lar. O irmão a quem DEUS revelara tal fato, falou então com o casal sobre o que DEUS lhe mostrara, e o casal lhe trouxe, então, a uma imagem envolta em uma toalha, imagem esta que pertencera ao seu avô, houvera sido conservada por seu pai e agora era guardada por ele, como uma simples “recordação” do avô. Tão logo se desfizeram da imagem, e fizeram uma oração de confissão, esse casal ficou livre da atuação de Satanás que, por meio dessa porta (a imagem), atuava  trazendo a desgraça para o lar. Amado(a), todo e qualquer objeto que tenha sido usado para invocar demônios, ou tenham ligação com demônios (como é o caso das imagens de “santos”), devem ser lançados fora, destruídos completamente; além do que, devemos confessar a DEUS e pedir perdão por havermos mantido em nosso poder tais objetos, permitindo a Satanás ter, em nossa casa, uma porta de entrada.
IV).     Se a enfermidade é provinda de causas naturais, devemos simplesmente recorrer às promessas de cura: “Pelas Suas pisaduras fostes sarados” (1 PE. 2:24).
V).        Se a enfermidade é oriunda de distúrbios emocionais, temos que identificar qual é a causa, a raiz do mal, e tratar de “arrancar” o mal pela “raiz”.
a)             Se for senso de culpa, a solução é confessar os pecados e aceitar o perdão de DEUS - SL. 32:1-5;
b)            Se for inveja, devemos nos livrar desse mal - PV. 14:30;
c)             Se são mágoas, a solução é perdoar como DEUS em CRISTO nos perdoou - EF. 4:32;
d)            Se for preocupação, ansiedade, então “lançando sobre ELE toda a vossa ansiedade, porque ELE tem cuidado de vós” (1 PE. 5:7);
e)             Se é depressão, temos que crer no Libertador (JO. 8:32,36); “sujeitai-vos à DEUS, mas resistí ao Diabo, e ele fugirá de vós” - TG. 5:7
f)              Se é a angústia excessiva, (NE. 8:10) “a alegria do SENHOR é a vossa força”;
g)             Se é o desespero - MT. 9:2 - “tende bom ânimo filho; perdoados estão os teus pecados”;
h)            Se são traumas passados - Se alguém está em CRISTO, nova criatura é, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo (2 CO. 5:17). e também o SL. 147:3 - Sara os quebrantados de coração, e lhes pensa as feridas”.
B.           Crer na Cura Divina: (MC. 11:24) - “Por isso vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crendo que o recebestes, e será assim convosco”. Em MT. 8:5-13, o centurião que rogou pela cura de seu criado, vejamos o que JESUS disse: (vs. 17) “vai-te, e seja feito conforme a tua fé”. E naquela mesma hora o seu criado foi curado. Ao paralítico de Cafarnaum (MT. 9:2): “vendo-lhes a fé...” então JESUS curou o paralítico. Em diversas passagens nós vemos o SENHOR atuando “conforme a fé” (MT. 15:28). Por isso JESUS pregava a Palavra, para que o povo ouvisse e cresse, a fim de ser curado — MT. 9:28-30; MC. 9:14,29; 6:25-36; MT. 13:15; RM. 10:17; 10:6-15 — Tanto para a cura física, quanto para a cura da alma ou do espírito, é necessário “crêr”. A incredulidade impedia JESUS de realizar muitos milagres - MC. 6:5,6. Poucas pessoas foram curadas independentemente de sua fé; por exemplo o endemoninhado gadareno, não exercia controle sobre suas faculdades, para que pudesse crêr ou descrer, pois os demônios o tinham totalmente sob controle. Nesse caso, JESUS o libertou e curou, independentemente de ele crer ou não.
C.          Pedir a Cura - MT. 7:7-11 - Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á...”. Esta promessa está relacionada também à bênção da cura divina. Em MT. 7:11 nós lemos: “Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos céus dará boas coisas aos que Lhe pedirem?”. Ler também RM. 8:32. Pedir a cura está em conformidade com a vontade de DEUS (1 JO. 5;14,15), e portanto DEUS quer que sejamos curados.
D.          Ter um Propósito no Coração: - Glorifica à DEUS quando damos um testemunho e O servimos com um corpo saudável - LC. 17:11-19; JO. 14:13; 9:2,3, 35-38 - Cura que resultou em testemunho e salvação do homem que foi curado (JO. 11:4,45).
E.           Pedir Oração pela Cura - TG. 5:14,15 - Está entre vós alguém doente? Chame os presbíteros da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em Nome do SENHOR. E a oração da fé salvará o enfermo, e o SENHOR o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados”. A unção com óleo era praticada pelos discípulos (MC. 6:13; LC. 10:34). Não era a “extrema unção”, praticada no catolicismo pelos sacerdotes romanos, mas tratava-se do ato de ungir com óleo medicinal, muitas vezes colocando o óleo diretamente sobre a ferida (LC. 10:34; IS. 1:5,6). Usamos a unção com óleo pela fé em o Nome do SENHOR JESUS, quem cura é o SENHOR JESUS e não o óleo (medicinal). Veja que é a “oração da fé” que salvará o enfermo, e é o SENHOR quem o levantará; em MC. 16:17,18 o SENHOR prometeu que os sinais “seguiriam” aos que crêem, e entre os sinais que seguiriam, está o de “pôr as mãos sobre os enfermos e eles serem curados”. Porém em 1 CO. 12:9 está escrito: “...e a outro, pelo mesmo ESPÍRITO, os dons de curar”. E em TG. 5:16 está dito que devemos confessar nossas culpas uns aos outros, e orar uns pelos outros para sermos sarados; concluindo diz: “muito pode, por sua eficácia, a oração de um justo”. A confissão pública ou aos irmãos, não é para que DEUS nos perdoe, mas para que recebamos ajuda dos irmãos no assunto no qual estamos falhando e somos fracos, através da oração daqueles irmãos que já têm experimentado o livramento do SENHOR nessa área.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostaria de saber sua opinião a respeito deste blog.
Por gentileza deixe aqui seus comentários.