sábado, 22 de junho de 2019

DEUS MANIFESTADO



Leitura: 1 João 1:2


Quero refletir com você hoje sobre aquilo que deve caracterizar a minha e a sua fé -- a experiência!

Embora haja um ditado popular, e até um censo comum entre os religiosos, de que a "fé é um salto no escuro", "acreditar sem ver"; acredito e tenho experimentado que, a despeito do fato de a fé não estar apoiada em algo visível, ela, todavia, está firmada em algo passível de ser experimentado. Em outras palavras, o objeto de nossa fé pode ser "tocado" - 1 JO. 1:1

A ciência afirma que todo conhecimento científico precisa estar apoiado em fatos e experimentos que, cumpridas certas premissas e condições, possam ser repetidos.

Ao conhecimento obtido com a observação de tais experiências, chama-se empirismo, ou seja, o conhecimento empírico é aquele que foi adquirido na "prática".

Com isto quero dizer a você que a verdadeira fé, aquela que produz resultados, só pode ser obtida de forma empírica; ainda mais, a verdadeira fé é, em muito, superior aquilo que os homens chamam de ciência, e ainda expõe a debilidade desta.

Digo-lhe que a verdadeira fé é obtida de forma empírica, experimentalmente.

Se afirmamos crer em DEUS sem tê-lo experimentado, nossa fé é apenas "teórica", porque se apóia em uma ideia, em um conceito, e não em algo que tenhamos "tocado". A consequência disto, é que conseguiremos transmitir apenas teorias sobre DEUS, conceitos, ideias e doutrinas, o que não significa que nossos ouvintes terão a vida necessária para cumprir o que DEUS requer de cada um.

Quando, no entanto, falamos do que temos "experimentado", quando falamos daquilo que conhecemos, quando mostramos um DEUS real, então nossa boca transmite vida, e não apenas teoria.

A verdadeira fé não pode ser "transmitida", porque é o resultado, a consequência do toque de DEUS, da revelação de DEUS a uma pessoa...

Para que alguém receba a fé, precisamos unicamente transmitir a essa pessoa a simples Palavra de DEUS, e falar do que temos experimentado do SENHOR, convidando-a a vir e a beber da Fonte da Água VIVA que é o próprio SENHOR.

E você? Já foi tocado por ELE?

tocou o SENHOR?

Se você ainda não experimentou o SENHOR JESUS de forma real, a ponto de ter sua vida transformadas, convido e desafio você a experimentar DEUS.

Em João 17:3 JESUS disse que a vida eterna é "conhecer a DEUS", e não "conhecer sobre DEUS".

Se quer conhecê-lo, terei imensa satisfação em ajudar você... Me escreva um e-mail manifestando seu desejo de conhecer DEUS:

discipulocarlosbachtold@gmail.com

quinta-feira, 30 de maio de 2019

A Realidade do Mundo Invisível e Sua Influência na História Humana

Leitura: RM. 1:20; CL. 1:16; DN. 10:12-21

(Príncipe espiritual = arcanjo)

Introdução

A despeito de saber ou não, todo ser humano sofre a influência do mundo espiritual, e tem sua existência marcada, não apenas por aquilo que seus sentidos físicos são capazes de perceber, mas também por coisas que lhe escapam aos sentidos.

Em outras palavras, há coisas tanto visíveis, quanto invisíveis que, embora não perceptíveis aos sentidos do homem lhe influenciam.

Quer acredite ou não, assim como há um universo visível, há também um universo invisível, constituído por coisas invisíveis, e o homem se move entre esses universos (visível e invisível), na maioria das vezes ignorando o mundo invisível, que é tão real e ativo quando o mundo que conseguimos perceber com nossos sentidos.

Em nossos dias, a ciência já afirma isto ao expor o universo composto por micro-organismos, organismos de proporções microscópicas que não são visíveis ao olho nu, mas que, dependendo do tipo de micro-organismo, é extremamente nocivo ao homem, alguns, inclusive, letais.

Já no passado, milhares morreram por desconhecer o perigo de certos vírus, bactérias, fungos etc., porque se aventuraram num mundo desconhecido, invisível, sem as precauções necessárias.

E hoje não é diferente!

Muitos têm se exposto a um mundo invisível e nocivo, por mera ignorância, por não ter noção da realidade do mundo invisível que tem arrastado milhões de vidas à destruição.

É sobre esse mundo que trataremos nas linhas que seguir-se-ão.

1. A Criação do Universo

1.1. O Universo Espiritual, habitado por seres espirituais e não físicos

O “manual do Criador” (Bíblia Sagrada) nos traz indícios de que, antes de criar a Terra – nosso Planeta, o Criador criou “um mundo” espiritual, e o povoou com criaturas muito poderosas, seres dotados de uma inteligência superior à do homem, e muito mais poderosos.

Vamos ler alguns textos:

GN. 1:1 à “... criou os céus, e a Terra”. Os céus, portanto, surgiram antes da Terra.

JÓ 38:7 à “... as estrelas da alva juntas alegremente cantavam...”. É evidente que aqui as “estrelas” são seres espirituais. Podemos inferir isso da passagem a seguir:

IS. 14:13 à “... acima das estrelas de DEUS exaltarei o meu trono...”. Esta passagem menciona o orgulho de um dos seres espirituais e invisíveis ─ um querubim ─ querendo ser igual a DEUS, e exaltar-se sobre todos os demais seres espirituais. Sua pretensão teve uma consequência: “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, ...” (Isaías 14:13).

AP. 9:1 à “... e vi uma estrela que do céu caiu na Terra; e foi-lhe dada a chave do poço do abismo”.

Sabemos que no mundo físico, uma estrela é muitas vezes maior que o nosso planeta, logo, é impossível que uma estrela (astro luminoso que está no espaço sideral) caia sobre a Terra. O choque de uma estrela com a Terra destruiria nosso planeta.

Portanto, o termo “estrela” usada nas passagens acima, refere-se à seres espirituais, seres que são dotados de “luz própria”, razão pela qual são chamados de “estrelas”, por causa de seu “brilho” (em muitas passagens da Bíblia o termo “brilho” é substituído por “glória”).

Esses seres espirituais foram criados muito antes dos homens, sendo criados de forma a compor um universo organizado, onde DEUS criou esferas de ação para as diversas classes celestiais por ELE criadas.

Segundo as Sagradas Escrituras, uma “estrela” difere em “brilho” de outra estrela – 1 CO. 15:41. Entenda-se aqui o termo “glória” como “luz” ou “brilho”.

Também de acordo com as Escrituras, DEUS criou diferentes ordens ou classes de seres espirituais:

a) Serafins

b) Querubins

c) Arcanjos

d) Anjos

A cada uma dessas classes, o Criador delegou atribuições próprias e atividades específicas. Da mesma forma, a cada classe o Criador dotou de características próprias.

No que se refere à atuação desses seres no mundo físico, o Criador também lhes designou a cada classe uma “esfera de ação”, sendo essa esfera, em alguns casos, restrita a certos “territórios”.

Algumas características dos Seres Espirituais

As Escrituras nos mostram que de longa data, na verdade desde o princípio da humanidade, esses seres espirituais ou “angelicais” vêm interagindo com nosso mundo, e na própria história humana.

Nos textos que serão citados a seguir, poderemos perceber não apenas a interatividade desses seres com nosso plano físico de existência, como também é possível inferir dos textos algumas de suas características.

Manifestações Angelicais na História Humana

· Gênesis 2:15

Antes de criar o primeiro homem, DEUS plantou um jardim no Éden, e colou ali o homem para o lavrar e “guardar”. Essa ordem de DEUS é interessante, se atentarmos ao fato de que o homem dominava sobre os animais, e até entendia sua linguagem (o que se infere do fato de que Eva não estranhou uma serpente conversando com ela).

Pois bem, o homem devia “guardar” (proteger) o Jardim do Éden. Mas proteger do quê, ou “de quem”? Podemos inferir, portanto, que ainda que não esteja explícito, está implícito que o homem precisava proteger o Jardim de algum “inimigo”.

· Gênesis 3:24

Depois de expulsar Adão e Eva do Jardim do Éden, DEUS colocou “querubins” para guardar (proteger) o caminho da Árvore da Vida.

A Bíblia, na verdade, nos fala dos seguintes seres espirituais angelicais, além dos querubins:

Serafins à Isaías 6:2, 6, 7.

O profeta Isaías é o único a mencionar essa classe de seres angelicais, citando, inclusive, suas características. Ele menciona que esses seres têm 6 asas: com duas cobrem os pés, com duas cobrem o rosto e com duas eles voam. Estão relacionados à santidade de DEUS.

Arcanjos à JD. 1:9, DN. 10:13, 20, 21; 12:1; e referências.

O apóstolo Judas cita o “arcanjo Miguel” e o profeta Daniel dá a entender que um “arcanjo” é um príncipe angelical, um “principado” das regiões celestiais; ainda no próprio livro do profeta Daniel podemos observar que a “esfera de ação” de um arcanjo é toda uma nação ou pais.

São seres que influenciam imperadores, reis e presidentes. Embora a Bíblia só cite o nome de um dos arcanjos (Miguel), está implícito no texto de Daniel que há outros arcanjos (príncipes angelicais).

É interessante observarmos que, embora as Escrituras identifiquem os serafins e os querubins como sendo possuidores de asas, o mesmo não ocorre em relação aos arcanjos e anjos. Uma vez que as Escrituras mostram os serafins e querubins como dotados e asas, mas nada fala de asas nos arcanjos e anjos, podemos inferir que arcanjos e anjos não têm asas.

O que distingue “arcanjos” de “anjos” é a sua glória (luz, brilho), e o nível de poder ou autoridade colocado sobre cada uma dessas classes.

Anjos das cidades à EZ. 9:1-6; DT. 32:8; AM. 3:6; JR. 29:7; GN. 1:1; AP. 12:7-9; etc.

Segundo as Escrituras, os céus governam sobre a Terra – Daniel 4:26 (o céu reina). Por esse motivo a Bíblia nos mostra que nossa luta não é contra pessoas de carne e sangue e sim contra os seres espirituais da maldade nos lugares celestiais (Efésios 6:12).

Também é por isso que a Bíblia nos diz que nós não devemos ser conduzidos por aquilo que está diante dos nossos olhos (2 Coríntios 5:7) e ainda afirma que nossas armas “não são físicas” – 2 Coríntios 10:4-6.

Quando DEUS criou os céus (Gênesis 1:1), ELE criou vários seres espirituais dotados de capacidade muito além das capacidades humanas, esses seres têm “poderes” que muitas das vezes os têm colocado, na antiguidade das civilizações, como “deuses” (Êxodo 12:12).

Esses seres espirituais, muito poderosos (se comparados ao homem), também foram distribuídos em certa “hierarquia”, e esta hierarquia está relacionada com os povos (DN. 10:13, 20, 21), com os elementos da natureza (SL. 104:4; DN. 7:2; ZC. 6:1-8; MT. 8:26; HB. 1:7; JD. 1:12; AP. 7:1; DN. 11:1 e referências).

Encontramos em Daniel 10:5,6 a menção de um ser espiritual, e em 11:1, esse ser declara para Daniel que “levantou-se para fortalecer Dario, o medo, que havia se tornado rei dos persas” – Daniel 5:31.

Fica claro, no texto, que os governantes humanos sofrem influência do mundo invisível, seja para o bem e a glória de DEUS, seja para o mal – 1 TM. 2:1-4; 2 TS. 2:3,4; MT. 2:1-18; LC. 4:5,6; DN. 3 (capítulo inteiro) e referências.

Eis o motivo pelo qual a Bíblia nos declara que nossa luta não é contra as pessoas físicas, de carne e sangue, e sim contra:

1. Os Principados (grego Arche – príncipe angelical – Arcanjos)

São “príncipes” angelicais (arcanjos), seres que manipulam os governantes das nações, de países, conforme Daniel 10:13, 20, 21; 12:1.

2. Potestades (poder de autoridade ou “influência”, governo)

De acordo com o grego (exousia) significa o poder físico ou mental, e o poder de governar ou exercer influência; governador ou magistrado.

Pode-se entender, portanto, que sendo os principados espíritos que influenciam e dominam os governantes de nações (países), bem como todo o território equivalente, as potestades, sendo espíritos sujeitos aos principados, são espíritos que governam estados, influenciando, assim, os governadores (ou cargo equivalente) em um país.

Potestade, portanto, é um governo, e potestades são “governos” ou “governantes” abaixo do rei ou presidente de uma nação, conforme Gênesis 42:6; 45:8; 1 Reis 22:48; etc.

Ao mesmo tempo, as potestades também podem manipular os elementos da natureza, como podemos ver em MT. 8:26; MC. 4:39; LC. 8:24. Nestas passagens, vemos que JESUS repreende os ventos, que estavam agitando o mar, tentando naufragar o barco no qual JESUS estava, tentando impedi-los de chegar até a província dos gadarenos.

Para compreendermos o que estava acontecendo nessa passagem, precisamos, antes, entender que “província” tem o significado de “divisão territorial” dentro de um governo, e ainda é, até nossos dias, usada em alguns países. Leia-se ED. 5:8; 6:2; 11:3; ET. 1:22; 3:12; 8:11, 12; DN. 2:48; MC. 1:5; AT. 23:34...

Até mesmo em nosso país, o Brasil, quando éramos ainda um império, as regiões que hoje denominamos de “estados” eram chamados de “províncias”.

Segundo pesquisas, a palavra “província” deriva de um antigo termo do direito público que significa “cargo vinculado a um magistrado que age fazendo as vezes do Estado” ou “representando um território diante do Estado”.

O prefixo “pro” tem o sentido de “em lugar de”, como é o caso do procônsul – que age em nome do cônsul, conforme Atos 13:7; 18:12 e outras referências. Já o termo “víncia” vem do elemento “vinc” de “vinculado, atado, sujeito”. Logo, província significa um território sujeito a um governo. Voltando agora para os textos em que JESUS se dirige para Gadara (uma província), no meio do trajeto JESUS repreende o vento, de onde poderíamos questionar: “Se repreender significa reprovar ou julgar, e isso só pode ser feito a alguém que, de forma deliberada escolhe fazer algo ruim, porque JESUS repreende os ventos e o mar, se elementos da natureza não têm vontade própria? Qual o alvo, então, da repreensão de JESUS?

Cabe aqui examinarmos alguns textos: SL. 104:4; HB. 1:7... À luz dessas passagens, junto com o texto de Marcos 5:1-13, 34 percebe-se que, na verdade, JESUS repreendeu as potestades do ar (EF. 2:2) que estavam agitando os ventos e o mar, tentando impedi-lo de chegar à província que era governada por tais potestades. Daí o fato de todos daquela região pedirem para que JESUS se retirasse das “terras deles” ou dos “seu território”, conforme vemos em Mateus 8:34; Marcos 5:17; Lucas 8:37.

Ao longo dos Evangelhos, quando JESUS chegava em algum lugar, as pessoas acorriam ao seu encontro, elas O queriam em suas terras, ainda que fosse por causa dos milagres.

Nesse território ou província, porém, por influência das potestades que ali governavam (EF. 2:2), o povo pediu que JESUS se retirasse de suas terras.

Podemos nessa passagem ter um pequeno vislumbre da influência exercida pelas potestades sobre a sociedade, sobre as pessoas.

Ainda de acordo com Efésios 2:2, vemos que o “principado” dá comando às “potestades”, de forma que as potestades estão, na hierarquia angelical, abaixo dos principados. Isto está de acordo com o texto de Efésios 6:12, onde somos alertados sobre a luta contra os seres espirituais que estão, nesta passagem de Efésios, colocados em ordem inversa – de cima para baixo: principados, potestades...

3. Príncipes das Trevas deste Século (Dominadores deste mundo tenebroso)

Os seres espirituais que na Bíblia Revista e Corrigida são chamados de “príncipes das trevas deste século”, na Revista e Atualizada são denominados de “dominadores deste mundo tenebroso” (EF. 6:12).

O termo “dominadores” aqui tem origem na soma de duas palavras gregas:

Kosmos = organização harmoniosa, uma ordem ou governo – falando do mundo como um sistema organizado – veja-se 1 JO. 2:15 – e

Krator = governados.

Logo, “kosmokrator” são os “governadores” do mundo.

Não se tratam, aqui, dos “principados”, que começam a lista dos quatro tipos de forças do mal citada em Efésios, contra as quais temos que lutar; e sim de um tipo ou categoria de seres que estão logo abaixo das potestades.

Nessa passagem, são os governadores do mundo de trevas – “príncipes das trevas”... São diferentes do “príncipe deste mundo” citado em João 12:31; 14:30; 16:11 e também em Efésios 2:2 (o príncipe das potestades do ar).

Pela colocação do termo, infere-se que são os que promovem as trevas neste mundo, no atual sistema de coisas. Promovem as trevas a nível social, isto é, são aqueles que conduzem as sociedades às trevas, à mentira, ao engano, não apenas a nível pessoal, mas à nível de toda uma sociedade ou povo.

Eles introduzem as trevas na sociedade, cegando as pessoas e influenciando sua cultura.

São os príncipes das trevas os responsáveis pelas “doutrinas de demônios” (1 TM. 4:1) e pelas “heresias de perdição (2 PE. 2:1).

Esses príncipes das trevas são os responsáveis por introduzirem de forma muito sutil, o pensamento de satanás na própria cultura popular, espalhando as trevas na história humana.

Ao se estudar a história das civilizações, pode-se observar que esses seres tiveram contato com várias civilizações no passado; começando pelo povo sumério e outras. Todas as civilizações, porém, que obtiveram algum “favor” desses seres, acabaram sendo extintas da Terra.

O Conflito Cósmico e o Homem

De acordo com as escrituras, um dos seres espirituais criados por DEUS permitiu o orgulho se formar em seu interior, e desejou ser igual a DEUS; esse ser – um querubim ungido para proteger – desejou para si a adoração dos outros seres angelicais. Por causa disto, foi expulso das regiões celestiais, perdendo o acesso à Presença de DEUS. A partir de então, tornou-se o “diabo” (caluniador, mentiroso) e “satanás” (opositor). Perdeu sua própria luz, deixando de ser chamado de Lúcifer (portador de luz), para ser conhecido por outros nomes que designam seu caráter maligno.

Entretanto, ele não foi lançado à Terra sozinho, porque tinha seres sob seu comando – uma terça parte dos seres espirituais – e estes o seguiram e obedecem a suas ordens em seu plano de destruir a humanidade e a própria criação (veja-se IS. 14, EZ. 28 e referências).

Esse ser aproveitou um momento de descuido do homem, e entrou lá no Éden, promovendo a dúvida no coração de Eva e ao enganá-la, o diabo induziu a humanidade à incredulidade.

Lembremos que DEUS ordenou que Adão dominasse a Terra, governando sobre todos os seres vivos... Porém, quando Adão escolheu “não crer em DEUS, dando ouvidos antes à mulher (que havia sido enganada pelo Diabo) do que a DEUS, nesse momento, Adão entregou o domínio do mundo ao diabo. Por essa razão a Bíblia afirma que “o mundo todo jaz no maligno” – 1 João 5:19.

Desde então, Satanás vem inserindo a mentira na cultura humana, a depravação, a corrupção, e tem cegado os olhos dos incrédulos – 2 CO. 4:4, para que a Luz de CRISTO não resplandeça em suas mentes.

Pois bem, em seu esforço de manter a humanidade em trevas, o diabo vem há muito inserindo sua semente na cultura da humanidade.

A Interferência de satanás na cultura humana

Para aqueles que não analisam a cultura humana à luz das Escrituras, tudo é muito “inócuo”, “irrelevante” e “sem importância”. Porém, ao olharmos para traz, para a história humana, e vermos o que esses seres espirituais têm feito, o que têm inserido na cultura humana, e como mantém sua influência sobre o homem, é necessário que tenhamos conhecimento, o conhecimento de DEUS, a fim de não sermos levados com a maioria para as trevas e sejamos conduzidos pelo “príncipe das potestades do ar” – EF. 2:2.

A partir dos sumérios e da influência que os espíritos malignos tiveram naquela civilização, encontramos até mesmo na cultura ocidental (inclusive entre nós), invocações e consagrações demoníacas, disfarçadas nas cantigas populares. Um claro exemplo disso é a canção de “ninar” (fazer criança dormir) cujo título é “Boi da Cara Preta”. Observe a letra:

Boi, boi, boi...

Boi da cara preta...

Pega essa criança,

Que tem medo de careta.

A letra dessa canção é por si só, no mínimo estranha. Mas, anda pior, é a realidade a que essa cantiga faz menção.

Muito antes das civilizações ocidentais surgirem, as civilizações orientais já haviam despontado. Para aqueles que estudam a história, não é novidade o fato de que o homem surgiu na Mesopotâmia, na região da África, berço das primeiras civilizações.

Ali, entre os fenícios que habitavam em Canaã – hoje Líbano – havia uma prática religiosa que consistia em oferecer crianças em sacrifício; elas eram queimadas vivas, morrendo carbonizadas.

Os fenícios ofereciam as crianças a um ídolo chamado de Moloque, cuja figura consiste (porque ainda é adorado por alguns povos) em um ser com corpo de homem e cabeça de boi (de onde surgiu o mito do Minotauro). Moloque era uma imagem grande, e seu ventre (abdômen) possuía uma cavidade, uma espécie de forno, onde os bebês eram lançados e queimados vivos. Havia uma ou outra variação no tipo de imagem, algumas tinham os braços abertos formando uma espécie de “rampa”, onde a criança era colocada e que “deslizava” para dentro do abdômen da estátua, sendo, assim, carbonizada (veja a figura).

Enquanto a criança era carbonizada, uma fumaça muito preta saía de seu corpinho, preteando a cara da estátua, de forma que a cara do boi ficava “preta”. Daí a origem do cântico “boi da cara preta”.

Em verdade, quando o adulto está “cantando” essa “cantiga de ninar”, está, sem saber, oferecendo a criança a Moloque, invocando esse espírito e pedindo que tal demônio (1 Coríntios 10:20) leve a criança.

O texto de coríntios nos adverte que por trás dos ídolos há demônios recebendo a adoração...

É preciso, portanto, conhecer a Palavra de DEUS de forma profunda, buscando um relacionamento com DEUS por meio da Sua Palavra, e também buscando conhecê-lO.

Somente desenvolvendo um bom relacionamento pessoal com DEUS estaremos livres das sutilezas de satanás inserida na sociedade de nossos dias.

Em nossos dias, os espíritos da mentira e do engano estão cada vez mais ativos, levando a humanidade a se afastar da verdade, a se afastar de DEUS e a mergulhar cada vez mais nas trevas...

Tomemos muito cuidado!

quarta-feira, 24 de abril de 2019

AS PARÁBOLAS DO ETERNO

Leitura:
  • JÓ 33:14-18;
  • GN. 31:24; 37:5-8;
  • DN. 2:1, 19, 21-29
  • MT. 1:20-24
É muito interessante observar, nas Escrituras Sagradas, como as pessoas do passado recebiam, através dos sonhos, informações sobre fatos que influenciariam não apenas sua própria história, como também as histórias de muitas outras pessoas.
É também interessante perceber, no caso de José, como, embora ele tenha tido um sonho em forma de “parábola” (GN. 37), seus irmãos entenderam a parábola (figura) que foi mostrada a José e que se cumpriu muitos anos depois.
Lamentável é constatar que, em nossos dias, as pessoas negligenciam essa ferramenta de comunicação do Eterno com o homem – os sonhos!
Com o passar do tempo as pessoas foram perdendo sua sensibilidade espiritual, suas mentes foram ficando embotadas, cheias de ideias e presas a um ativismo secular, a uma constante ansiedade.
Um grande número de pessoas, por conta da ansiedade, passou a depender de drogas para conseguir dormir à noite, e muitas há que sofrem de insônia.
A ansiedade e o estresse tornaram-se uma prisão onde a maioria da sociedade queda-se presa.
Daqueles que têm sonhos enquanto dormem, são raros os que compreendem aquilo que sonham, qual a mensagem que seu sonho traz; mais raros ainda, são aqueles que anotam aquilo que sonham.
Para a maioria, os sonhos não têm peso ou valor algum, não são importantes.
Como estão enganados!
O texto de Jó nos mostra como DEUS se serve dos sonhos, para ensinar o homem, para “instruí-lo”.
Salomão, o homem mais sábio que já existiu, afirmou que “a alma do homem é a lâmpada do SENHOR , a qual esquadrinha todo o mais íntimo do ventre”. ─ PV. 20:27 (ARC)
Na realidade, quando o sonho não é uma parábola do Eterno, cujo entendimento e interpretação são possíveis à luz das Escrituras, ele (o sonho) é, então, uma projeção do subconsciente do sonhador de anelos que, por não conseguir realizá-los na vida real, são energizados pela força psíquica e realizados no sonho.
Mas, mesmo este tipo de sonho (projeções do subconsciente) permite ao homem um maior autoconhecimento.
Nenhum sonho é sem valor!
Quando você sonha, algo está sendo revelado à você, quer acredite ou não nisto.
O mundo invisível aos seus olhos físicos, abre um “portal” e tenta, de algum modo, influenciar suas ações no mundo físico.
Os pesadelos – que muitos julgam uma consequência de uma má digestão ou preocupação exacerbada – servem para mostrar àquele que sonha, que tipo de perigo o está cercando.
Até mesmo os animais e objetos que aparecem nos sonhos nada mais são do que “figuras” (analogias) que representam realidades presentes na vida daquele que sonha. Pode ter certeza disto!
Quer uma prova???
Desafio você a anotar um de seus sonhos (Quem sabe o que sonhar esta noite?) e a enviar por escrito – sem omitir nenhum detalhe – para meu e-mail. Tão logo possível, lhe retornarei com a mensagem contida em seu sonho.
Você poderá, então, experimentar por si mesmo(a) o que está registrado em JÓ 33:23-26.
Experimente!
O ETERNO quer que você O conheça!

sábado, 20 de abril de 2019

PARA QUE NÃO TE FALTE NADA

Leitura e Reflexão:
DT. 2:7; SL. 111:5; 34:9. 10; MT. 6:33
“… coisa alguma te faltou”.
“ELE dá sustento aos que O temem”.
“… não têm falta alguma aqueles que O temem”.
“… mas aqueles que buscam ao SENHOR de nada têm falta”.
Se existe alguma coisa capaz de levar alguém ao desespero, a fome, certamente, é essa coisa.
Ao longo da história da humanidade é possível perceber os extremos a que chega alguém por causa da fome.
Por causa dela, guerras foram decididas, vidas foram mudadas, cidades foram conquistadas.
De acordo com as Escrituras, é no momento de fome que o homem traz à tona (manifesta) o que está em seu íntimo (coração) ─ DT. 8:2,3 ─ pois não há humilhação maior para o homem do que a falta do essencial – o alimento.
Ser chamado de “morto de fome” é sinônimo de “miserável”.
É interessante, ao analisarmos a história das nações, entendermos o que, de fato, traz a falta de alimentos, qual sua verdadeira causa.
Em Ezequiel 5:15-17 encontramos que DEUS envia a fome como “juízo” ou “julgamento” (castigo); o castigo de DEUS, portanto, envolve a escassez e a fome.
Logo, está perfeitamente coerente com os princípios Divinos que DEUS dê o sustento àqueles que O buscam, e traga a escassez e a fome aos que DELE esquecem.
Claro que há, também, quem tenha fartura de pão, sem sequer conhecer ao SENHOR, porém quero, neste artigo, tão somente trazer o entendimento sobre os princípios Divinos sobre o sustento, para aqueles que, de fato, desejam conhecer a DEUS.
Quanto aos ímpios que têm fartura de pão, as Escrituras também nos trazem entendimento a respeito; mas este artigo não é direcionado aos ímpios, e sim àqueles que desejam desenvolver um relacionamento saudável com o TODO PODEROSO.
Portanto, para os que desejam conhecer ao SENHOR, encontrarão aqui os princípios para que tenham sempre seu sustento assegurado.
Em Mateus 6:33, JESUS fala sobre a preocupação com o sustento e as coisas necessárias à vida humana ─ o que comerei? o que beberei? com que me vestirei? ─ e ELE próprio dá o segredo para que tais necessidades sejam supridas.
JESUS afirma que “basta buscarmos em primeiro lugar (antes de qualquer outra coisa) o Reino de DEUS e a Sua justiça e todas as necessidades serão supridas.
Logo, o melhor que temos que fazer para que tenhamos nossas necessidades supridas, não é ajuntar tesouros aqui na Terra – MT. 6:19 – mas sim procurar conhecer e fazer a vontade de DEUS, buscando ser úteis na edificação da “Casa de DEUS” – AG. 1:2-11, que é a Igreja de CRISTO – EF. 1:22,23; HB. 3:6 – pois o Reino de DEUS e a Sua justiça são estabelecidos na Terra através da Igreja.
Faça uma experiência!
Conheça a CRISTO e saberá identificar a Igreja que ELE, e não o homem, está edificando!


CAÇANDO DEUS


       Imagem relacionada
Desde o princípio da humanidade existem aqueles que buscam a DEUS ─ GN. 4:26 ─ a história está repleta de exemplos; essas histórias são como "mapas" que podem nos conduzir ao santo dos santos, e aos lugares celestiais.

     Os "caçadores de DEUS" não estão limitados pelo tempo ou pela cultura, tampouco pela etnia. Tais pessoas surgem dos mais variados lugares, e dos mais diversos contextos históricos.
       Desde Enos, neto de Adão, Abraão o nômade, Moisés o fugitivo, Davi o jovem pastor, Josué o capitão de Israel e muitos, muitos outros.
       Ao longo da história contemporânea, inclusive, outros nomes foram aparecendo:
  • Evan Roberts,
  • William Seymour;
  • João Wesley;
  • Jorge Muller;
  • Samuel Morris;
  • e tantos outos.
       Somente a história nos mostrará os nomes de todos os "caçadores de DEUS".
       Você é um deles?
       O SENHOR espera ser alcançado por alguém que tenha tal fome, que ultrapasse seu próprio controle.
       Os caçadores de DEUS têm muitas coisas em comum...
       Tais pessoas não têm interesse em ficar se acampando em volta de doutrinas conhecidas pela maioria, antes estão sempre buscando a doce Presença do Todo Poderoso.
       A intensidade de sua busca pode causar espanto para a maioria das pessoas, inclusive da cristandade, porém essa busca geralmente os conduz até aonde o SENHOR está!
       Se você é um caçador de DEUS, não vai se satisfazer em apenas seguir as trilhas do SENHOR, você também vai segui-las, até tocar nELE.

Verdade de DEUS x Revelação de DEUS

       Você saberia descrever a diferença entre a "verdade de DEUS" e a "revelação de DEUS"? 
       A "Verdade" é onde ELE já esteve, enquanto que a revelação é onde ELE está! A primeira, são Seus "rastros", e a segunda é ELE próprio, Sua Pessoa.
       Muito se satisfazem em saber onde DEUS esteve, contudo, os verdadeiros caçadores de DEUS não se satisfazem somente com o estudo de Seu rastro, ou Suas doutrinas ─ eles querem Sua Pessoa.
       A maioria da Igreja vive como alguém que está seguindo o rastro de um animal e consegue dizer onde o animal esteve, que direção tomou, qual seu peso, etc. Mas nunca tem qualquer contato com o animal.
       Apenas uma minoria segue as "pistas" até alcançar o "objeto" de sua busca ─ DEUS!
       DEUS não está interessado em quanto nós sabemos "sobre ELE", mas sim em quanto nós "O conhecemos", quanto nós o "desejamos".
       Saber "sobre DEUS" poder ser obtido através de leituras e estudos que falam dELE, entretanto, conhecê-lO envolve um relacionamento real e pessoal com ELE.
       Você já O conhece???
       Você tem um relacionamento pessoal e real com DEUS de tal forma que ouça a Sua voz, ou apenas tem "adquirido informações sobre ELE, por meio de suas leituras e estudos"?
       Saiba que as informações sobre DEUS não lhe trarão Vida Eterna, isso só é obtido pelo relacionamento com ELE ─ João 17:3.
       Venha a ELE! Busca-O!
       Invoca-O!
       Olha Seu convite para você:
"Clama a MIM, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes".
JR. 33:3

terça-feira, 19 de março de 2019

O CAMINHO VIDA

E a este povo dirás: Assim diz o SENHOR: Eis que ponho diante de vós o caminho da vida e o caminho da morte." 
Jeremias 21:8
"Para o entendido, o caminho da vida leva para cima, para que se desvie do inferno em baixo." 
Provérbios 15:24

O “Caminho da Vida”, de acordo com a Palavra de DEUS (Bíblia Sagrada), conduz “para cima”, e “afasta do inferno”. Precisamos atentar para aquilo que as Escrituras Sagradas falam sobre o Caminho da Vida, do contrário incorremos no risco de estar caminhando nele sem que percebamos este triste fato.
Cabe aqui examinarmos outra passagem bíblica onde o inferno é mencionado:
"Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus."
Salmos 9:17
A Palavra do SENHOR é muito clara aqui… O inferno é o “destino final” dos ímpios e daqueles que se esquecem de DEUS. Associando essas passagens, podemos inferir dos textos, portanto, que o caminho da vida está relacionado com o não esquecer-se de DEUS… Ou seja, quando DEUS faz parte de nosso caminhar diário, certamente estaremos nos afastando do inferno, pois
"Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos." 
Isaías 55:9
Essa passagem do livro do profeta Isaías nos traz um pouco mais de luz sobre o “caminho da vida”…  Os nossos caminhos não são “caminhos altos”, portanto, nossos caminhos não nos levam para cima, porque o pensamento humano sempre está voltado para as coisas da Terra, da vida cotidiana, das necessidades cotidianas.
O caminho da vida, conduz para cima, então só pode ser o caminho que conduz para DEUS. Ora, em João 14:6, o próprio JESUS afirmou o seguinte:
"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." 
João 14:6
Agora sim, podemos compreender claramente que o “caminho de DEUS” é Um só… É CRISTO JESUS! Qualquer outro “caminho” estará nos conduzindo para o inferno, por mais “confortável” e “cômodo” que possa ser. O caminho da vida é aquele palmilhado através de um relacionamento com o Pai e com o Filho, por meio da Presença real do Espírito Santo ─ João 17:3.
JESUS afirma, nessa passagem de João que “ter vida eterna” significa “conhecer a DEUS e a JESUS CRISTO”. Ora, a mesma Palavra de DEUS nos afirma que “não há conhecimento de DEUS na Terra” – Oséias 4:1. Logo, não é a religião que traz o conhecimento “de DEUS”. A religião pode, quando muito, trazer o conhecimento “sobre” DEUS, ao falar dELE, dos Seus atributos e de Sua intervenção na história humana. Mas religião alguma, livro algum, pode dar a você o “conhecimento de DEUS”. Somente uma “aproximação direta”, por meio da busca sincera, da invocação do Seu Nome, é que podem levar você a conhecê-lO. O próprio DEUS afirma nas Sagradas Escrituras:
"E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração." 
Jeremias 29:13
Portanto, só encontramos o Todo Poderoso quando O buscamos com todo o nosso coração, isto é, com todas as nossas forças, com todo nosso empenho, com toda nossa alma, com todo nosso pensamento, com tudo o que temos e somos.
Cabe aqui agora uma reflexão:

Eu tenho buscado a DEUS com todo o meu coração? Estou, de fato, buscando a DEUS, um relacionamento com DEUS, ou estou me satisfazendo com o fazer parte de um grupo religioso, em ter uma religião? Tenho experimentado um relacionamento íntimo com DEUS a ponto de haver um diálogo com ELE, onde falo com ELE e ELE fala comigo, ou tenho me contentado em aprender “sobre” ELE?

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

A RESSURREIÇÃO E A VIDA... Você pode viver!

Leitura: João 11:25
"Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;"


Quantas vezes no passado você achou que tudo estava perdido, que já não havia saída ou esperança para sua situação, e DEUS entrou com Seus recursos e salvou você?
Quantas vezes você tentou já pensou até mesmo em por fim à sua própria vida, mas algo acontecia e tudo mudava, lhe dando novo alento e novas esperanças?
Agora, o ciclo da vida se repete, e novamente você se encontra em uma crise de fé? Afastou-se do seu rebanho, e se tornou alguém de quem as pessoas só falam mal e não bem? Tudo parece dar errado, e novamente surgem os pensamentos de autodestruição? Saiba que há esperança para você!!!
JESUS declarou que ELE É A RESSURREIÇÃO E A VIDA, QUE QUEM NELE CRER NÃO MORRERÁ, E AINDA QUE ESTEJA MORTO, VIVERÁ (JO. 11:26).
ELE, ninguém mais, JESUS CRISTO, o Único DEUS e SENHOR do Universo, é o maior interessado em que você experimente a vida abundante que ELE conquistou com Seu próprio sacrifício. Ainda que os homens decepcionem, falhem, mintam, enganem… JESUS jamais falha! JESUS jamais engana! JESUS jamais decepciona! JESUS jamais mente! A Sua Palavra é a Verdade e permanece para sempre!
Então, o que está esperando? Receba esta palavra de vida, levante-se dentre os mortos e deixe JESUS resplandecer em sua vida! Deixe CRISTO te levantar!
Lázaro já cheirava mal, pois estava morto há quatro dias… Mas quando JESUS chamou o nome de Lázaro, e disse: “Lázaro, vem para fora”, Lázaro ressuscitou! A podridão sumiu! O mau cheiro sumiu! Lázaro ganhou vida!
Hoje JESUS chama você pelo seu nome, venha para fora dessa situação de morte, de desesperança, de medo, de insegurança e incertezas! Venha para o SENHOR JESUS CRISTO, estenda-Lhe a mão e ELE vai te levantar!
Deixe que o Seu rio, a Sua Palavra produzam em você o resultado que ELE deseja! Não confie no homem, nas promessas humanas, mas confie na obra que ELE já realizou! ELE já pagou um preço demasiado alto por sua vida! Você foi comprado pelo Seu sangue! Não pense que ELE te abandonou, porque ELE jamais abandona alguém! O que JESUS quer é somente abraçar você! Volte para ELE. Não se trata de voltar para uma religião, um grupo, uma comunidade! Volte para CRISTO!
Hoje é a sua oportunidade de começar o primeiro dia de uma nova vida! Receba a vida de CRISTO, deixe CRISTO governar a sua vida, e veja as mudanças que ocorrerão à sua volta!
Esta mensagem é para você! Saiba que ELE não esqueceu das promessas que fez nem das palavras que já lhe falou por meio de outras pessoas…
JESUS CRISTO fala a você hoje:
LEVANTA E VEM!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

PARA QUÊ SOMOS CHAMADOS

Leitura:
Efésios 4:1 – Romanos 1:6 – 1 Coríntios 1:9 – Gálatas 5:13 – Colossenses 3:15 – Hebreus 9:15 – 1 Pedro 2:21 – 1 Pedro 3:9 – Hebreus 11 (Capítulo)

Graça, paz e misericórdia sejam sobre sua vida…

A Palavra de DEUS afirma que muitos são chamados, mas poucos são escolhidosMateus 22:14. Após ler este artigo, você irá compreender porque razão os “escolhidos” são poucos… A “escolha” está diretamente relacionada com a “resposta” dada ao chamado feito pelo CRIADOR – CRISTO JESUS! Quero, nas linhas a seguir, compartilhar com você alguns aspectos do nosso chamado…

Efésios 4:1 – Chamados com uma Vocação, para uma função específica
Paulo escrevendo aos cristãos que moravam em Éfeso, uma cidade da Ásia, rogou-lhes que “andassem de maneira digna da vocação com que foram chamados”.  Com estas palavras Paulo demonstra conhecer que eles haviam sido chamados “com uma vocação”. Ora, o termo “vocação” diz respeito a um chamado “para um propósito ou função específicos”. Na linguagem judicial, o termo “vocação” diz respeito a uma convocação, a um chamamento para tomar posse de algo que é seu por direito, o que estaria em conformidade com o que ele escreveu no capítulo 1º, onde afirma que “já fomos abençoados com toda sorte de bênçãos espirituais nas regiões celestiais em CRISTO JESUS” (EF. 1:3). De fato, todas as bênçãos espirituais, incluindo a vida eterna encontram-se EM CRISTO – 1 João 5:11. Com esta afirmação de João em sua epístola, fica fácil compreender a abordagem do motivo de nosso chamado, mencionado por Paulo, escrevendo aos Romanos…

Romanos 1:6 – Chamados para pertencer a CRISTO
”…Entre as quais sois também vós chamados para serdes de JESUS CRISTO.” O texto aos romanos é muitíssimo claro… Somos chamados “para “sermos” (pertencermos) de JESUS CRISTO”… Portanto, quando DEUS nos chama, não nos chama para dentro de uma religião, não nos chama para pertencermos a um grupo social, não nos chama para uma filosofiaDEUS nos chama, pelo Evangelho, para sermos de JESUS CRISTO. Este é, de fato, o propósito maior do chamado de DEUS. Escrevendo a seu “filho na fé, Timóteo”, Paulo declara que DEUS quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da Verdade.

1 Coríntios 1:9 – Chamados para ter comunhão com CRISTO
”Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor.”
Outro aspecto que precisamos compreender claramente sobre o “para quê fomos chamados”, é que fomos chamados para a comunhão com JESUS CRISTO. Isto nos fala de “relacionamento pessoal”, pois a palavra “comunhão” significa “compartilhar das mesmas ideias, valores, opiniões, e, acima de tudo, no âmbito espiritual, ter a mesma vida”. Ora, fomos chamados para a comunhão com JESUS CRISTO, isto significa, entre outras coisas, que fomos chamados para compartilhar dos mesmos valores que ELE, adotarmos as Suas ideias, as Suas opiniões, e os Seus valores. Não se trata mais de adotarmos a “opinião pública comum”, mas sim “a opinião do SENHOR JESUS”, que, aliás, encontram-se expressas nas páginas da Bíblia Sagrada.

Gálatas 5:13 – Chamados para ser livres em CRISTO
”Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor.”
Fomos chamados à liberdade… Essa liberdade para a qual fomos chamados, encontra-se somente em JESUS CRISTO, pois ELE disse: “conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará”… E também ainda: “Se pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Fomos, portanto, chamados para a liberdade, para sermos livres… livres do pecado, livres das trevas, livres das correntes de satanás, dos cuidados do mundo, e da ansiedade que tanto tem consumido as pessoas de nosso tempo.

Colossenses 3:15 – Chamados para viver como Uma só Igreja
”E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.”
Escrevendo aos colossenses, Paulo, inspirado pelo Espírito Santo afirma “fostes chamados em um corpo”… Esse corpo que Paulo cita nesta epístola, é a Igreja, como podemos ver em Efésios 4:4 – há um só “corpo”. Este “corpo” é o resultado da obra de CRISTO em Sua morte vicária, pois está escrito que JESUS “morreu para reunir em Um Corpo (Igreja) os filhos de DEUS que andavam dispersos” (João 11:51, 52).
Os que crêem em CRISTO, portanto ─ e por isso denominados “cristãos” ─ foram chamados para reunir-se como uma só Igreja, e não em partidos e grupos divididos, como mostra a realidade de nossos dias ─ leia também EF. 1:22, 23; CL. 1:18; 1 CO. 12:27; 1 CO. 1:10; 3:1-4; 1 CO. 12:25 …

Hebreus 9:15 – Chamados para tomar posse de uma herança eterna
”E por isso é Mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna”.
Somos chamados para receber a promessa da herança eterna… Aqui o chamado tem seu sentido judicial, que é uma convocação para tomar posse de uma herança ou direito.

1 Pedro 2:21 – Chamados para sofrer com CRISTO
”Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.”
Certamente que este aspecto do chamado não é bem quisto pela maioria, porque aqui nos é dito – se lermos o contexto da passagem – que fomos chamados para sofrer por CRISTO. Não para sofrer como praticando o mal, mas sim praticando o bem. Somos chamados para seguir JESUS CRISTO, e, se o fizermos, teremos, como ELE, perseguições. JESUS mesmo nos assegurou que no mundo teríamos aflições. ELE não nos prometeu uma vida de conforto, de riqueza, de fama, de sucesso “na sociedade”; pelo contrário, se formos, de fato, fiéis ao Seu chamado, nos é garantida uma vida de perseguições. Não perseguição por fanatismo religioso – o que é outra história – mas perseguição porque a vida de CRISTO, manifesta em nós, irá incomodar aqueles que amam mais as trevas do que a luz, à nossa volta. Você está disposto(a) a sofrer por amor a CRISTO?

1 Pedro 3:9Chamados para expressarmos a vida de CRISTO
“E, finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis. Não tornando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; sabendo que para isto fostes chamados, para que por herança alcanceis a bênção”.
A Bíblia diz que deve haver em nós os mesmos sentimentos que houveram em CRISTO JESUS (Filipenses 2:5), isto é, fomos chamados para expressar a vida, o comportamento, os sentimentos de JESUS CRISTO para com as pessoas à nossa volta. Devemos lembrar que o mesmo JESUS que acolheu os pecadores, era duro com os fingidos, com os hipócritas… O que significa que, ao mesmo tempo que devemos expressar a suavidade de CRISTO com aqueles que desejam, de fato, conhecer e fazer a vontade de DEUS, mas ser duros com aqueles que tentam encontrar desculpas para continuar no pecado.

Hebreus 11Chamados para ser heróis da fé…
Pela fé, Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e, por ela, depois de morto, ainda fala. Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte e não foi achado, porque Deus o trasladara, visto como, antes da sua trasladação, alcançou testemunho de que agradara a Deus. Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam. Pela fé, Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu, e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé. Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia. Pela fé, habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa. Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus. Pela fé, também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido. Pelo que também de um, e esse já amortecido, descenderam tantos, em multidão, como as estrelas do céu, e como a areia inumerável que está na praia do mar. Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas, mas, vendo-as de longe, e crendo nelas, e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. Porque os que isso dizem claramente mostram que buscam uma pátria. E se, na verdade, se lembrassem daquela de onde haviam saído, teriam oportunidade de tornar. Mas, agora, desejam uma melhor, isto é, a celestial. Pelo que também Deus não se envergonha deles, de se chamar seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade. Pela fé, ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado, sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito. Sendo-lhe dito: Em Isaque será chamada a tua descendência, considerou que Deus era poderoso para até dos mortos o ressuscitar. E daí também, em figura, ele o recobrou. Pela fé, Isaque abençoou Jacó e Esaú, no tocante às coisas futuras.
Pela fé, Jacó, próximo da morte, abençoou cada um dos filhos de José e adorou encostado à ponta do seu bordão. Pela fé, José, próximo da morte, fez menção da saída dos filhos de Israel e deu ordem acerca de seus ossos. Pela fé, Moisés, já nascido, foi escondido três meses por seus pais, porque viram que era um menino formoso; e não temeram o mandamento do rei. Pela fé, Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo, antes, ser maltratado com o povo de Deus do que por, um pouco de tempo, ter o gozo do pecado; tendo, por maiores riquezas, o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. Pela fé, deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível. Pela fé, celebrou a Páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos lhes não tocasse. Pela fé, passaram o mar Vermelho, como por terra seca; o que intentando os egípcios, se afogaram. Pela fé, caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante sete dias. Pela fé, Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias. E que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Gideão, e de Baraque, e de Sansão, e de Jefté, e de Davi, e de Samuel, e dos profetas, os quais, pela fé, venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fugida os exércitos dos estranhos. As mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição; E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos a fio de espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra. E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa, provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados.

(Hebreus 11:4-40)
Ao logo do capítulo 11 de Hebreus, são mencionadas várias pessoas que atenderam ao chamado de DEUS em sua época, que se colocaram do lado de DEUS e fizeram diferença em seu povo…

Neste tempo, HOJE, DEUS chama a cada um de nós… Chamou a mim, e chama a você! Seu desejo é que nos tornemos, como os heróis mencionados em Hebreus, heróis de nossa tempo. Pessoas que promovam mudanças em sua geração, que cooperem com ELE no Seu propósito de levar o homem a se tornar aquilo para o que foi criado.

Você está disposto(a)?

sábado, 26 de janeiro de 2019

A NOSSA VOCAÇÃO (CHAMADO)

Texto Base: EF. 4:1

Desde que criou o homem, DEUS vem chamando, pelo nome, pessoas para serem cooperadoras com ELE em Seu propósito terno para com a humanidade.
Ao examinarmos a história da humanidade desde os seus primórdios, principalmente nos registros das Sagradas Escrituras, podemos ver o impacto causado em seu tempo, por homens e mulheres que, quando chamados pelo SENHOR, se dispuseram a atender o Seu chamado (vocação).

Vamos conhecer a história de algumas pessoas a quem DEUS chamou e que atenderam o Seu chamado…

Adão
Certamente que a primeira pessoa a quem DEUS chamou pelo nome, para cooperar com ELE em Seu propósito eterno em relação ao planeta Terra, e para com a raça humana, além, é claro, dos animais que povoavam a Terra. Prova de que DEUS compartilhou com Adão de Sua vontade, é que e (Adão), transmitiu a seus filhos aquilo que DEUS lhe houvera transmitido… Os filhos que tiveram inicialmente – Caim e Abel – receberam instrução de Adão sobre oferecer algo a DEUS… Claro que dos dois, Abel obedeceu o princípio implícito na oferta – o sacrifício – pois trouxe a DEUS do melhor de suas ovelhas (GN. 4:4). Posteriormente, ao nascer o filho de Sete, o 3º filho de Adão e Eva – tendo em vista que Abel foi assassinado por Caim – “começou-se a invocar o Nome do SENHOR” (GN. 4:26). Desde então passou a haver uma clara distinção entre os “filhos de DEUS” (LC. 3:23-38), e os “filhos da terra” (descendência de Caim) – GN. 34:1.
Geração após geração, os filhos de DEUS foram catequizando seus filhos, repassando verbalmente as instruções que DEUS houvera dado a Adão, passando a se tornar o “legado” de Adão à sua descendência, um legado que competia com uma outra herança deixada por ele – o pecado e a morte (RM. 5:12).

Enoque
Este homem, após o nascimento de seu filho Matusalém, desenvolveu um relacionamento tal com DEUS, ao ponto de ser por ELE trasladado (sem experimentar a morte física) – GN. 5:21-24.

Noé
Com o passar do tempo, os homens foram se corrompendo desde a infância (GN. 8:21; 6:5). Contudo, em meio à geração daquele tempo, uma pessoa, dentre todas, buscou um relacionamento pessoal com DEUS… Era um homem cujo nome era Noé – GN. 6:8,9. Noé cresceu, casou-se e teve três filhos – Sem, Cam e Jafé (GN. 5:32; 6:10). Ele transmitiu a seus filhos uma educação diferente da educação da sociedade de seu tempo… Noé foi chamado por DEUS para realizar uma obra, ele deveria construir uma “arca” (caixa de madeira) de proporções gigantescas, com medidas específicas (GN. 6:14, 15). As instruções para a construção de tal arca envolviam não apenas o tipo específico de madeira (gofer) como também o formato e as repartições que ela deveria ter. Noé deveria seguir à risca as orientações sobre tal construção. Por ter um relacionamento pessoal com o CRIADOR, não se corrompendo como o resto da humanidade, DEUS não apenas alertou Noé sobre o dilúvio que viria, mas também lhe orientou sobre como poderia salvar-se e também à toda sua família, além, é claro, de muitíssimos animais – GN. 6:14-20. 7:1-7, 23; HB. 11:7.
Noé, com sua obediência, mudou não apenas a história de sua família, mas também a própria história do mundo, porque a partir dos seus três filhos, povoou-se toda a Terra – GN. 9:19.

O Povoamento da Terra após o Dilúvio

Os descendentes de Sem povoaram as regiões Asiáticas estendendo-se desde o Oceano Indico até às praias do Mediterrâneo. Profeticamente Noé vai dizer: “Bendito seja o Senhor, Deus de Sem” e “Habite Deus nas tendas de Sem”, vindo mais tarde Abraão a ser descendente de Sem, assim como Jesus Cristo o Messias.

Os descendentes de Jafé, habitaram as ilhas do Mediterrâneo e a Ásia Menor. Acerca de Jafé, Noé proferiu as seguintes palavras, que se cumpriram e estão se cumprindo: “Alargue Deus a Jafé”. A história tem testemunhado este alargamento proveniente da raça ariana. Basta olharmos que os maiores impérios da história têm sua origem em Jafé.

Por último resta-nos Cam. Por causa do seu carácter e sobretudo de seu filho Canaã, Cam, foi amaldiçoado. Sua sentença foi ser serviçal de seus irmãos. Sua descendência seria serviçal da descendência de seus irmãos. Os filhos de Cam implantaram-se em África, no litoral Mediterrâneo da Arábia e na Mesopotâmia.


continua…

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

A OBRA DE DEUS E A RESPONSABILIDADE DO HOMEM NA SALVAÇÃO

Leituras:
LC. 16:1-14; 1 CO. 5:11; 6:9, 10; EF. 5:5-7;
LC. 12:15; HB. 13:5; CL. 3:5,-6;  1 TM. 6:8-10;

“Guardai-vos da avareza! A vida de qualquer pessoa não consiste na abundância do que possui”.

Estas palavras ditas por JESUS não se tratam de um “conselho” ou de uma “sugestão”. JESUS está ordenando que Seus discípulos se guardem da avareza. Essa ordem, juntamente com o mandamento registrado em Mateus 6:19 (não junteis tesouros na terra…) são mandamentos que experimentam nosso coração e nossa disposição de obedecer a CRISTO.

Precisamos compreender que a Palavra de DEUS deve ser levada a sério, que a obediência à verdade resultará na salvação “dos obedientes”.

Há mais de dois mil anos atrás, um menino nasceu em Belém da Judéia, colocado em uma manjedoura, recebeu ao nascer o nome de JESUS ( que significa JEOVÁ, O SALVADOR); esse “menino” não era apenas “mais um judeu”, um filho de um carpinteiro chamado José e de uma jovem chamada Maria…

Esse menino teve Seu nascimento profetizado muito antes do dia em que os anjos aparecerem a alguns pastores que guardavam seus rebanhos no campo (LC. 2:6-12, 15, 16, 21). O profeta Isaías já havia profetizado 700 anos antes do Seu nascimento, dizendo quem ELE seria – IS. 7:14; 9:6… “Será chamado Emanuel (DEUS conosco)” – MT. 1:23. Seu Nome será:

  • Maravilhoso,
  • Conselheiro,
  • DEUS FORTE,
  • Pai da Eternidade,
  • Príncipe da Paz.

Essa criança veio à Terra para cumprir uma obra, ELE era o Verbo Encarnado, o CRISTO – LC. 2:11.

Mais tarde, JESUS estabeleceu para Seus discípulos uma característica que os identificaria como verdadeiros discípulos dELE – JO. 13:35; 1 JO. 3:16-18. Mais que isto, JESUS também estabeleceu uma “prova de amor”, uma “condição” que, de fato, mostra quem de fato O ama – JO. 14:23. JESUS afirma que, “se alguém O ama”, “guardará a Sua Palavra”. Porém, isso não é tudo! JESUS diz ainda: “e meu Pai o amará, e viremos a ele e faremos nele morada”.

JESUS afirma que há uma prova explícita de quem O ama, e há uma consequência, uma tremenda recompensa para tal pessoa.

Guardar, obedecer as Palavras de CRISTO, leva-nos a experimentá-lO de uma forma real, faz com que nos tornemos habitação de DEUS.

No entanto, não foi apenas JESUS quem nasceu tendo da parte de DEUS uma missão para cumprir, uma obra para realizar…

Cada um de nós, ao nascer, tem um lugar e uma obra dentro do propósito e plano Divinos.

O CRIADOR tem uma vontade. A Bíblia nos afirma que DEUS QUER que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade1 TM. 2:3,4.

solidaoÉ preciso dar atenção à ordem em que esses dois verbos são colocados nas Escrituras:
1) “se” salvem e
2) “venham” ao conhecimento da verdade
.

É importante percebermos que ambas as ações são colocadas aqui sob a responsabilidade dos homens, é responsabilidade humana e não Divina… Vejamos:

a) os homens “se salvem”
Nessa frase da epístola a Timóteo há questões implícitas que devemos perceber… Os homens nascem perdidos, condenados, por isso precisam da salvação, precisam se salvar de sua geração (natureza) perversa (AT. 2:40): “salvai-vos”; AT. 16:30 – “me salvar”; 1 TM. 6:16 – “te salvarás”; 1 PE. 3:20 – “se salvaram”. Todos os verbos aqui colocam no sujeito a ser salvo a responsabilidade por sua própria salvação. Embora DEUS já tenha provido o Salvador e o meio de salvação, é exigida uma ação, uma atitude por parte do perdido; essa ação o salvará.

b) venham ao conhecimento da verdade
Novamente aqui a Palavra de DEUS coloca sobre o homem a responsabilidade de ação: venham! DEUS quer que o homem venha ai conhecimento, porém não ao conhecimento do bem e do mal (GN. 3:5, 20), e sim ao conhecimento da verdade (JO. 8:32; 14:6; 17:3).
Há uma ação necessária da parte do homem: “VIR”. DEUS não impõe ao homem a Sua vontade, antes, o convida: “VENHA!”. Se o homem vir, conhecerá a Verdade e será salvo, mas, se não vir, permanecerá na mentira e, portanto, condenado. Aceitar o convide de DEUS é o passo inicial do caminhar com DEUS.

Contudo, não basta “vir ao conhecimento da verdade”, é a obediência à verdade que purifica a alma humana1 PE. 1:22.

Em outras palavras, é preciso praticar a justiça e buscar a verdade – JR. 5:1; PV. 12:17, e sabemos que A Palavra de DEUS é a verdadeSL. 119:160; JO. 17:17

Tudo aquilo que contradiz a Palavra de DEUS deve ser rejeitado como mentira, somente a Palavra de DEUS é a expressão pura da verdade! Por isso devemos nos submeter totalmente aos Seus princípios de forma incondicional, submetendo toda e qualquer ação terrena aos princípios da Palavra de DEUS.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

APRENDA A CALCULAR, USANDO A BÍBLIA, EM QUE MÊS NASCEU JESUS

baby-jesus-1118993A comemoração do Natal, embora muitos ignorem, é uma comemoração pagã, adotada pelo império romano quando este estabeleceu o catolicismo como religião do Estado. Naquela época, por questões de interesse financeiro e político, a chamada “igreja católica apostólica romana” incorporou aos seus dogmas muitas doutrinas e crenças pagãs, a fim de obter a simpatia de reis e imperadores. Com o passar do tempo, então, o Natal de 25 de dezembro se tornou uma tradição, e, no mundo inteiro se comemora o nascimento de JESUS (?) nesse dia.

Meu objetivo, aqui, é proporcionar a você alguns conhecimentos básicos a fim de que você possa, de forma assertiva, usando a Bíblia, calcular o nascimento de JESUS, e saiba a verdade sobre essa importante data. Ao meu ver, os verdadeiros cristãos não devem perpetuar uma mentira e sim confrontar a mentira com a verdade. Pois o próprio JESUS afirmou que “o diabo é o pai da mentira”  (João 8:44) e ainda “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32).

Para sabermos quando, ao certo, JESUS nasceu, precisamos saber algumas diferenças entre o calendário que nós utilizamos, que é o calendário Gregoriano, e o calendário Hebreu que é o calendário utilizado pelos judeus, povo de onde JESUS nasceu.

O calendário utilizado por nós (Gregoriano) é composto por 12 meses com variação entre 28, 30 e 31 dias, sendo que o mês de fevereiro, que tem 28 dias, passa a ter 29 dias no chamado “ano bissexto”, no qual o ano tem 366 dias – já que em todos outros anos, tem 365 dias e 6 horas. Essas 6 horas excedentes, formam 24 horas a cada quatro anos, tendo, assim, o ano bissexto.

Já o calendário bíblico hebreu tem 12 meses de 30 dias cada, não havendo diferença entre um mês e outro. Além disso, o calendário Gregoriano tem o início do ano em janeiro, enquanto o calendário hebreu começa o ano no que seria nosso mês de abril, terminando no que seria nosso mês de março.

Além disso, precisamos compreender que tudo o que está escrito nas páginas da Bíblia, não está ali “por acaso”. O ESPÍRITO SANTO, que inspirou seus escritores, colocou ali aquilo que ELE julgou importante…

A partir dessa compreensão, já podemos, conhecendo outras realidades dos hebreus, calcular com precisão o mês em que JESUS nasceu ─ em que mês do nosso calendário.

Passemos, portanto, a algumas considerações à luz das Escrituras Sagradas:

  • Em Lucas 1:5 a Bíblia relata que Zacarias, marido de Isabel, de quem nasceria João Batista, era um sacerdote. Mas Lucas não para aí… Ele investigou “minuciosamente” os fatos sobre o nascimento de JESUS, e relata que “o sacerdote Zacarias era da ordem de Abias”. – Essa informação nos situa em que mês o anjo Gabriel (LC. 1:19) apareceu a Zacarias e, consequentemente, qual mês Zacarias estava no templo. Para entendermos e calcularmos, é necessário que leiamos 1 CR. 24:10; ÊX. 29:30, 31. No texto de 1 Crônicas 24:1-18 encontramos que haviam 24 turnos dos sacerdotes, e no versículo 10 observamos que “a ordem de Abias” citada em Lucas é a “oitava turma”. Sabendo-se que cada turno durava cerca de 15 dias (um dia de preparação, sete dias de purificação e sete dias de efetivo serviço ─ LV. 8:33. Assim, usando a matemática calculamos o turno de Abias (8º) ─ 15 x 8 = 120 dias… 120 dias divididos por 30 dias (cada mês), então temos aí o 4º mês. Sabendo que o calendário hebreu (veja no final deste artigo) começa no que seria nosso mês de abril (ÊX. 12:1, 2; 13:3-10; 23:15; NM. 28:16).
  • Com as informações acima, Gabriel falou com Zacarias em Tamuz (julho), João Batista nasce em abril… JESUS nasceria 6 meses depois de João (LC. 1:35, 36), de forma que JESUS nasceu em outubro ─ ocasião em que se comemorava a “Festa dos Tabernáculos” (João 1:14 no original: o Verbo se fez carne e tabernaculou entre nós).